Relatos Selvagens

Relatos-Selvagens-poster

Relatos Selvagens

 

Uma comédia de humor negro que gira em torno de personagens que, diante de determinadas circunstâncias, perdem totalmente o controle e se vingam, sem medir consequências.

Relatos Selvagens (Relatos Salvajes), filme escrito e dirigido por Damián Szifron  e estrelado por Ricardo Darín, está bombando (literalmente) na Argentina desde que estreou por aqui no dia 21 de agosto. Em apenas cinco semanas, o filme conseguiu superar o recorde de O segredo de seus olhos para ser o filme argentino mais visto nos últimos 25 anos.

O filme tem muitas semelhanças com O segredo de seus olhos, muito além de ser protagonizada por Ricardo Darín. Os dois filmes participaram de vários festivais de cinema por todo o mundo (Cannes, San Sebastian, Telluride), contaram com distribuição massiva em vários países e apesar de ambas transbordarem uma identidade tipicamente argentina, falam de temas com fácil identificação por parte do público em geral.

E acima de tudo, as duas foram escolhidas como representantes da Argentina para concorrer ao prêmio Goya espanhol e ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Resta aguardar para saber se Relatos Selvagens poderá igualar o sucesso de O Segredo, que ganhou os dois prêmios.

O filme – sem spoilers 😀

Relatos Selvagens é uma antologia com seis histórias diferentes, sem nenhuma conexão umas com as outras. O filme é muito bem estruturado, mesmo sem títulos para separar as histórias, cada uma possui uma conclusão bem evidente e então passamos para a próxima história. O diretor aparentemente não se preocupa em julgar se as ações dos personagens são certas ou erradas, em vez disso procura demonstrar as causas que os levam a perder totalmente o controle e como é fácil fazê-lo diante de determinadas circunstâncias.

Ricardo Darin

Ricardo Darin

O primeiro segmento é ambientado em um vôo comercial, onde um crítico musical descobre uma inesperada conexão com uma modelo sentada ao seu lado. A segunda história é sobre uma garçonete e uma cozinheira de um bar de estrada que são levadas a uma discussão ética quando um dos clientes é uma figura do passado de uma delas. A terceira história é um típico caso de fúria atrás de um volante, contando o embate entre dois motoristas em uma estrada. Ricardo Darín aparece no quarto episódio, interpretando um engenheiro que tem o seu carro apreendido diversas vezes por estacionar em lugares proibidos. A quinta história mostra um homem rico que tem que lidar com o fato que seu filho irresponsável atropelou e matou uma grávida e depois fugiu do local do acidente. Finalmente, a última história é sobre uma noiva que descobre, durante a festa do casamento, que seu marido não só a traiu com uma companheira de trabalho, mas ainda a convidou para a festa.

Damian Szifron, Leonardo Sbaraglia e Ricardo Darin

Damian Szifron, Leonardo Sbaraglia e Ricardo Darin

Tecnicamente o filme é muito bem feito, um padrão sempre presente na maioria dos filmes argentinos. O segmento da estrada é um ótimo exemplo, a paisagem do norte argentino é impressionante, muito linda visualmente. Essa questão técnica é um dos motivos do grande sucesso de Relatos Selvagens, mas também é evidente que o feeling maior com o filme passa pela identificação do público com as situações mostradas e pelo humor que permeia as histórias, algumas mais tétricas que outras, mas sempre com esse tom cômico e anárquico que chega a lembrar Quentin Tarantino.

Relatos selvagens abre a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e estréia no circuito comercial brasileiro em outubro. Um filme imperdível! Já estão planejando ou já viram este filme? Deixem seu comentário aí embaixo!